Engenharia Genética ............................... este blog foi avaliado com 20 valores

quarta-feira, outubro 18, 2006

Gatos anti-alergicos



Uma empresa de biotecnologia dos Estados Unidos teve uma ideia que é um ovo de Colombo: produzir gatos que não causam alergias aos donos. Chegar lá, ao que parece, foi só uma questão de tempo.
.
A Allerca, assim se chama a empresa, garante que obtém estes animais inofensivos para os hipersensíveis através de cruzamentos e sem qualquer manipulação genética. Depois de desmamados vende-os, mediante encomenda prévia, por três mil euros cada. E as encomendas, aparentemente, não escasseiam.
.
A alergia aos gatos, que se traduz em vários sintomas desagradáveis como congestionamento dos olhos e nariz, sessões de espirros seguidos e comichão no corpo, é geralmente causada por uma glicoproteína, a Fel d1.
.
Aquela proteína é produzida pelas glândulas sebáceas do gato e concentra-se no pêlo, na saliva e na pele do animal, por ordem directa de um gene com o mesmo nome: Fel d1.
.
De acordo com a empresa de biotecnologia, este gene surge alterado num gato em cada 50 mil, sendo que a respectiva proteína produzida nesses animais acaba por perder o seu potencial alergénico para os seres humanos.
.
A empresa partiu então à "caça" de gatos com esse gene alterado e, uma vez encontrados em número suficiente, iniciou um programa de cruzamentos que lhe permitiu começar a produzir gatos que não causam alergias aos donos.
.
Trata-se de um processo "moroso", admitiu à BBC News Steve May, da Allerca, que garantiu não utilizar processos de alteração genética nos animais.
.
Os gatos estão agora prontos para entrega, mas a empresa já aceitava encomendas desde 2004. Ao que parece este é um nicho de mercado que promete e poderá mesmo tornar-se global.
.
De acordo com especialistas citados pela BBC, cerca de 35% dos seres humanos sofre de alergias, simples ou múltiplas, sendo que a aos gatos é uma das mais comuns.
.
by:

segunda-feira, outubro 02, 2006

Descoberta causa genética da não formação de impressões digitais


Investigadores da Faculdade de Medicina do Politécnico de Haifa, em Israel, descobriram a causa genética que impede a formação de impressões digitais em algumas pessoas, noticiou ontem a imprensa israelita.
O problema, conhecido como “síndrome de Nagali”, deve-se a um mau funciona mento de uma proteína conhecida como «cretin 14», segundo a equipa de investigadores chefiada pelo professor Eli Shperjer. A descoberta resultou de um estudo que decorreu durante os últimos 20 anos e que consistiu, numa primeira fase, em procurar pessoas nascidas na Europa e nos Estados Unidos sem impressões digitais.
A identificação através das impressões digitais, que são diferentes em todos os seres humanos, deve-se a um método que data de há mais de cem anos criado na Argentina por Juan Vucetich, um antropólogo e oficial de polícia de origem croata.